Agende sua consulta
Fale conosco pelo WhatsApp

Dor no nervo ciático

imagem de uma mulher com dor
Imagem: Shutterstock

13 junho, 2023

Por:

Este sintoma é causado principalmente pela compressão ou inflamação do nervo, podendo ser acompanhado por formigamento e outras alterações

O nervo ciático é o maior nervo do corpo humano, estendendo-se desde a região lombar da coluna vertebral até o pé. Esta estrutura é formada pelas raízes nervosas da coluna, que se unem na região glútea e formam um nervo único e espesso, que se responsabiliza por fornecer inervação sensorial e motora para as articulações do quadril, joelhos e tornozelos, além dos músculos das pernas e pés.

Quando este nervo está inflamado, lesionado ou comprimido, o indivíduo pode apresentar como sintoma a dor no nervo ciático, também chamada de ciatalgia. Esta alteração pode ser causada por diferentes condições e, dependendo do quadro apresentado, pode ser acompanhada por dormência, formigamento e fraqueza muscular na área afetada.

Como é a dor no nervo ciático?

A dor no nervo ciático é um sintoma que pode se apresentar de maneira variada de pessoa para pessoa, dependendo também da causa do problema. Entretanto, a maioria dos pacientes descreve esse desconforto como um dor intensa que se estende da região lombar até a perna, podendo chegar ao pé.

A dor no nervo ciático pode ser unilateral ou afetar ambos os lados do corpo, podendo piorar durante a noite ou em situações específicas — como ficar em pé por um longo período ou caminhar. Em casos mais graves, a ciatalgia pode dificultar a realização de atividades do cotidiano, por vezes se tornando incapacitante e afetando drasticamente a qualidade de vida do paciente.

Outros sintomas que acompanham a dor no nervo ciático

Como foi explicado, a dor pode ser acompanhada por outros sintomas como:

  • Fraqueza muscular, com dificuldade para movimentar pernas e pés;
  • Sensação de queimação nos glúteos;
  • Dificuldade para andar, levantar ou deitar-se;
  • Alterações na sensibilidade;
  • Em casos mais graves, perda dos reflexos.

É importante destacar que nem todos os pacientes com alguma alteração no nervo ciático vão apresentar todos esses sintomas. As manifestações variam de acordo com a causa e gravidade da condição.

Clique aqui, entre em contato agora mesmo e agende já sua primeira consulta!

O que causa a dor no nervo ciático?

A principal causa da dor no nervo ciático é a inflamação, que pode ser ocasionada por uma série de fatores e alterações como:

  • Hérnia de disco;
  • Esporão ósseo;
  • Compressão muscular;
  • Anomalias musculares ou articulares;
  • Síndrome piriforme;
  • Tumores;
  • Gestação;
  • Compressão nervosa.

Como aliviar a dor?

O tratamento para a ciatalgia vai sempre depender de suas causas. Por isso, é importante sempre consultar um especialista em coluna vertebral para diagnosticar a causa da dor no nervo ciático, jamais optando pela automedicação para aliviar este sintoma. O diagnóstico inclui um exame físico, levantamento do histórico clínico do paciente e, dependendo do caos, exames específicos para identificar as raízes nervosas comprometidas.

O alívio da dor no nervo ciático geralmente envolve uso de medicamentos analgésicos na fase aguda, além de anti-inflamatórios. Além disso, o especialista pode recomendar sessões de fisioterapia, reeducação postural e prática de atividades físicas. Dependendo do quadro apresentado, pode ser necessário perder peso ou se submeter a tratamentos específicos, como o de infiltração.

A cirurgia é indicada para casos muito específicos, em que a dor no nervo ciático é causada por uma hérnia de disco ou doenças degenerativas discais. Em geral, a intervenção é indicada para quadros que apresentam perda progressiva de força e sensibilidade na perna, além de pacientes que já passaram por outros tratamentos para ciatalgia, sem apresentar resultados satisfatórios.

Além dos cuidados médicos, o paciente pode adotar alguns cuidados para prevenir a ciatalgia ou evitar que a dor ciática volte. São eles:

  • Evitar o sedentarismo;
  • Manter a postura das costas;
  • Na medida do possível, manter o peso corporal adequado;
  • Sempre se consultar com um especialista ao sentir qualquer desconforto, garantindo diagnóstico e tratamento adequado.

Entre em contato e agende uma consulta com o Dr. Lucas Vasconcellos.

Fontes:

Rede D’Or São Luiz;

Sociedade Brasileira de Reumatologia.