Agende sua consulta
Fale conosco pelo WhatsApp

Tratamentos para espondilose

Imagem de uma mulher com espondilose

14 dezembro, 2022

Por:

Conheça quais são as opções de tratamentos para a espondilose e como eles contribuem para devolver a qualidade de vida ao paciente

Atualmente, existem diferentes opções de tratamento para espondilose que visam melhorar a qualidade de vida do paciente, restabelecendo a mobilidade da coluna vertebral e cessando episódios de dor.

A espondilose, artrose que acomete a coluna vertebral, causa alterações degenerativas que resultam no desgaste de ossos e articulações das vértebras, culminando na compressão dos nervos e consequentes quadros de dor aguda.

Essa condição pode se manifestar em todos os segmentos da coluna vertebral, sendo mais comum em áreas com maior mobilidade, como a cervical e a lombar.

Entre em contato agora mesmo e marque sua consulta

Como surge a espondilose?

A espondilose está relacionada ao processo natural de desgaste na coluna, e por isso é mais frequente na população idosa.

Além disso, a condição pode se desenvolver em pessoas que:

  • Tenham predisposição genética ao problema;
  • Fazem movimentos repetitivos ou carregam muito peso;
  • Lidam com a obesidade, situação considerada de risco à integridade vertebral.

A espondilose tem início com uma compressão do disco vertebral, o que leva o organismo a tentar restabelecer o espaço anatômico fisiológico entre as vértebras, resultando na formação de osteófitos, esporões ósseos conhecidos popularmente como bico de papagaio.

A evolução da espondilose, portanto, é crítica, pois os bicos de papagaio podem aumentar a compressão das terminações nervosas e intensificar a dor, além de restringir a mobilidade da coluna vertebral.

Quais são os principais sintomas?

Inicialmente, a espondilose não costuma apresentar sintomas, no entanto, ao passo que a degeneração dos discos vertebrais se agrava, o paciente tende a sentir dor e rigidez no local afetado, que pode ser a coluna cervical, torácica ou lombar.

Com o agravamento do quadro, outros sintomas tendem a surgir, como espasmos musculares, tensão muscular, formigamento, fraqueza dos membros superiores e inferiores, e dores de cabeça.

Quais são as opções de tratamentos para espondilose?

Para definir quais abordagens de tratamentos para espondilose são mais adequadas ao caso, é indispensável um diagnóstico profissional.

A avaliação clínica é fundamental com anamnese completa do paciente, histórico médico e histórico familiar. Os exames radiológicos também são importantes aliados, podendo ser solicitado raios-x, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

A partir disso, o especialista consegue medir o nível de desgaste articular e discal, bem como complicações associadas, como os osteófitos, degeneração da articulação facetada e danos aos tecidos moles.

Entre em contato agora mesmo e marque sua consulta

Assim, diferentes tratamentos para espondilose podem ser prescritos ao paciente. Conheça os principais a seguir.

Medicação

Quando o paciente apresenta dor aguda e inflamação da coluna vertebral associada à espondilose, o especialista pode recomendar a terapia medicamentosa com analgésicos, anti-inflamatórios não esteroides e relaxantes musculares.

Em conjunto, o paciente pode ser orientado a repousar, mas a continuidade da imobilidade leva à perda de massa muscular e fraqueza, o que pode agravar o quadro a longo prazo.

Sendo um recurso para alívio da dor aguda, a terapia medicamentosa também não deve ser contínua.

Fisioterapia

Conforme o quadro inflamatório regride, o paciente pode ser orientado a realizar sessões de fisioterapia com foco no alívio das dores, ganho de mobilidade vertebral e fortalecimento muscular.

Exercícios físicos regulares

Com a melhora do quadro, também é comum que o paciente seja orientado a realizar exercícios físicos para ganho de massa muscular, sendo a musculação um dos melhores tratamentos para espondilose com esse objetivo.

É imprescindível que o paciente seja acompanhado e orientado por um educador físico, garantindo movimentos seguros e firmes.

O fortalecimento muscular é um grande aliado no alívio das dores da cervicalgia e lombalgia associadas à espondilose, além de prevenir o agravamento do quadro.

Infiltração

A infiltração na coluna é uma abordagem na qual as medicações são aplicadas diretamente na região da coluna afetada, o que contribui na amenização dos quadros inflamatórios, bem como no alívio das dores.

Terapia intradiscal

A terapia intradiscal, na qual são realizadas discectomias percutâneas no local acometido, é uma abordagem menos invasiva que uma cirurgia vertebral. O especialista introduz uma agulha no disco degenerado para queimá-lo, o que pode ser feito com equipamento eletrotermal.

Cirurgia

Quando os tratamentos para espondilose baseados em terapias clínicas não apresentam resultados satisfatórios, pode ser necessário recorrer à cirurgia da coluna.

Nesses casos, o especialista, que deve ser um neurocirurgião especializado em coluna, faz a descompressão das terminações nervosas do disco e estabilização da coluna vertebral com parafusos, a fim de evitar a compressão dos tecidos, que causa a dor e o agravamento progressivo do quadro.

Entre em contato agora mesmo e marque sua consulta

Quando procurar um especialista?

O especialista em coluna deve ser procurado assim que o paciente sinta as primeiras dores recorrentes no local, seja na porção cervical, torácica ou lombar.

O diagnóstico precoce da espondilose e a intervenção primária reduzem as chances de complicações que comprometam a saúde e qualidade de vida do paciente.

A procura pelo especialista será ainda mais importante para pacientes com predisposições genéticas, obesos, ou que têm ocupações que aumentam os riscos de desenvolver a condição.

Portanto, para receber o tratamento para espondilose mais adequado, é essencial que haja a avaliação e diagnóstico do médico especialista para definição da abordagem mais adequada ao caso.

Entre em contato com o Dr. Lucas Vasconcellos agora mesmo e agende já sua consulta.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia